segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Crônicas de Uthred: Capítulo 4

Au!
Já fazem 4 meses que eu estou morando com uma família humana! Estou muito feliz, mas nem tudo foram ossinhos esse mês. Nunca pensei que isso fosse acontecer comigo...cortaram minhas bolinhas!! 
Ops, jogaram uma propaganda pela porta e ela não teve chances!
Primeiro me levaram para cortar o pelo, passaram perfume e me deixaram arrumadinho. No outro dia a Mariana me levou para um lugar e me deram uma picadinha, justo quando eu pensei que tinha acabado de tomar as vacinas. Quando acordei, eu estava usando uma roupinha justa e ridícula, meus pelos todos presos e eu não conseguia sentar direito...tiraram minhas bolinhas. Tive que ficar 10 dias usando esse treco que me deixou parecido com um cãotonete e só pude tirar depois que visitei a veterinária. Ela pensou que a Mariana seria suficiente para me segurar enquanto ela tirava os pontos – doce ilusão! Fiz o máximo para impedi-la, eu tive que aguentar firme, mas ela cumpriu a missão. Essa foi a parte ruim desse mês.
A parte boa é que comecei a dormir na cama dos meus donos, é tão confortável! Ganho carinho e quando quero dormir vou até os pés deles e tiro um cochilo. O único problema é que não consigo descer, então tenho que ficar latindo para eles me colocarem no chão. É exaustivo! Meus donos continuam indo embora de manhã, mas pelo menos não me trancam com a grade, posso correr livre pela casa até eles chegarem.
Ah, sabe por que o cachorro entrou na igreja? Porque era dia de São Francisco de Assis. Lá estava cheio de cachorros, o frei me benzeu e ganhei uma ração bem gostosa, devorei assim que cheguei em casa! Também tenho passeado no Cobasi, no Pet e no Shopping...por enquanto gosto mais de ir nos dois primeiros, mas não acho ruim ir ao shopping, sempre tem gente querendo me fazer carinho!
É melhor você não parar de fazer carinho na minha barriga!!
Esse mês foi aniversário da Mariana veio um monte de gente. Ficamos em um lugar grande e tinha bastante comida. Conheci umas crianças que moram no prédio, a Verônica me levou pra brincar e eu me diverti muito, principalmente na hora que corri na terra. Fiquei cansadinho!

Só tenho mais uma coisa a dizer...minha vida é muito boa!!

Auau!

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Esmalte da Semana: Vermelite (Quem disse, Berenice?), o retorno.

Oiê!
Ok, finalmente vou voltar com as postagens de esmaltes aqui no blog. Fiz um tratamento de 2 meses para fortalecer as unhas, até comecei um post de cuidados para contar mais sobre o tratamento, mas desisti porque não estava em um formato legal. Para ser sincera, até pouco tempo eu achei que ele não tinha funcionado...só percebi que esse tempo foi importante quando voltei a esmaltar. O Vermelite (Quem disse, Berenice?) já apareceu por aqui, por isso nem vale muito a pena comentar sobre ele, mas vale contar o que notei de diferente dessa vez!
O Vermelite é um vermelho aberto, daqueles beeeem clássicos. Gosto muito desse tom nas minhas unhas porque contrasta bem com meu tom de pele, que é mais amarelado. Unhas elegantes e vibrantes! O vidrinho é o tradicional da marca e tem o pincel achatidinho, que é ótimo para esmaltar. A fórmula é boa e a aplicação é fácil e não mancha. Apliquei duas camadas e finalizei com o Top Coat Intensificador do Cor (Vult) – sim, mudei o top coat e tenho adorado!
Esse foi o primeiro esmalte que usei depois do tratamento. Minhas mãos continuam um pouco ressecadas, mas melhorou muito desde o começo do tratamento, mas nas fotos as cutículas ainda estão um pouco secas – tem muita hidratação pela frente, não tem segredo. O que me surpreendeu foi a durabilidade. Já não reclamei muito da primeira vez, mas dessa achei que foi muito melhor. Só uma unha de cada mão lascou (a do dedo médio) e depois de uns 4-5 dias. Tá, mudei o top coat, mas eu já vinha usando o da Vult antes do tratamento e os esmaltes não estavam parando na minha unha.
Tenho duas teorias. A primeira é que o tratamento deu certo. A segunda é que eu estava tão estressada que minhas unhas sofreram com isso, na época que tudo começou eu estava perto da minha qualificação, com um monte de coisas para fazer e meu organismo descontou tudo nas unhas. Passou o estresse, tudo voltou ao normal. Sinceramente, acho que a segunda teoria é a mais provável. Nosso corpo dá sinais de quando as coisas não vão tão bem!

Ah, outra coisa que mudou foi o formato das unhas. Elas estão ovaladas e eu acho que tem valorizado bastante minha mão. Olhei as fotos com as unhas quadradas e vi que faz muita diferença. Eu já vinha usando esse formato antes do tratamento, mas elas quebravam tanto que ficavam quadradas novamente. Sabe, eu não lembro quando foi a última vez que minhas unhas quebraram pra valer. Que ótimo!

Enfim, estou muito contente porque minhas unhas voltaram ao normal, os esmaltes estão durando e elas estão lindas e maravilhosas! Tenho orgulho de mostra-las novamente! Não dei muito destaque ao Vermelite, afinal eu já falei bastante dele. Uma coisa não mudou, ele continua classudo e bonito, além de ter uma qualidade muito boa. Só falta virar 3free!

Nas fotos, dá pra perceber alguma diferença pré e pós-tratamento?

Até mais!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Tutorial: Outubro Rosa 2016

Oiê!
Primeiro, eu gostaria de dizer que não abandonei o blog. Estou bem desorganizada em relação ao tempo, por isso tive que priorizar outras coisas (tipo meu mestrado que termina em dezembro). Além disse, estou começando um novo projeto e assim que ele crescer, eu contarei os detalhes aqui.
Esclarecimentos feitos, é hora de te contar um pouquinho sobre o tutorial dessa semana. Acredito que você saiba que este mês é dedicado ao combate do câncer de mama, por isso o mês é apelidado de Outubro Rosa, uma campanha que ocorre mundialmente. Como todo ano, fiz esse tutorial todo em rosa para participar da campanha. Aproveito para te convidar a ler o meu texto do ano passado sobre o câncer de mama (caso você não saiba, sou bióloga e trabalho com genética do câncer desde 2012). Se já leu, é só conferir esse tutorial e se prevenir!
Usei os seguintes produtos para preparar a pele:
StudioFix Fluid, cor NC20 (M.A.C.)
Natural Bronzer, na cor 021 Sun Light (Rimmel)
Clique aqui para ampliar.
Nos lábios escolhi um marrom levemente rosado, ou um vinho amarronzado – o Camila (Bruna Tavares, resenha em bereve!).
O resultado final você encontra nas fotos.


Produtos utilizados:
Primer de olhos (Quem disse, Berenice?)
- Palette V209A (Jasmyne)
Palette Onix 02 Marrom Glacê (Toque de Natureza)
- Lápis de olho, Pratix (Quem disse, Berenice?)
- Máscara Butterfly Sculpt (L’Oréal)

Deixa eu te contar, amei essa maquiagem. Dessa vez os esfumados estão na horizontal, assim rente aos cílios está o tom mais escuro que clareia até chegar no côncavo. É um pouco diferente do que costumo fazer, né?! Uma das partes que mais gosto é o lápis prata na linha d’água, tenho usado pouco, mas deixa um efeito muito legal. Ele ilumina e aumenta o olhar, é um ótimo truque! De resto é uma pele simples, só com bronzer, e bem natural, para combinar com a leveza dos olhos. O batom escuro, contrasta e destaca as sombras. É um make para qualquer ocasião, rapidinho e fácil.

Maquiagem é bom, mas vamos falar de assunto sério para terminar este post. Você já fez sesu exames preventivos esse ano? Nunca deixe para o ano seguinte, combinado?!


Até mais!

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Tutorial: Make dos 24!

Oiê!
Amanhã é o dia mais esperado do ano – por mim! Amanhã é o meu aniversário!!! Para celebrar meus 24 anos, fiz um tutorial especial. Dessa vez escolhi um olho mais escuro e, obviamente, um laranja bem vibrante. Cores que amo, no meu dia favorito, não tem como ficar melhor! Vem conferir esse tutorial rapidinho e colorido!
Usei os seguintes produtos para preparar a pele:
Base Líquida de Alta Cobertura, cor 02 (Quem disse, Berenice?)
Fit Me! Concealer, 15 – Fair (Maybelline)
Natural Bronzer, cor 021 Sun Light (Rimmel)
Blush, cor Rose Éclat (Bourjois)
- Lápis de sobrancelha, Cinzel (Quem disse, Berenice?)
Clique aqui para ampliar.
 Esqueci de comentar no tutorial que eu esfumei rente os cílios inferiores igual à pálpebra móvel! Primeiro o laranja, depois o marrom e por fim o preto.
Eu poderia ter passado algo mais suave nos lábios, mas dessa vez optei por olho tudo e boca tudo. Passei o Marrom Brilhantina (Dailus).


Produtos utilizados:
- Sombra Laranjeon (Quem disse, Berenice?)
- Sombra Uno 29 (Vult)
- Sombra Coal (Mary Kay)
- Delineador Líquido, Preto (Vult)
- Máscara Exagerada (Quem disse, Berenice?)

Vai dizer que esse make não deixou um olhão lindo?! A única coisa que ainda não sei se eu gosto é desse batom...ainda não me entendi com ele. De resto, amo como o olho fica com essa combinação e esse tipo de esfumado. As cores fazem o olho vibrar! Fiquei apaixonada por essa maquiagem, sério! Ela não é tão basiquinha, por isso combina com eventos noturnos, que pedem um olho mais chamativo.

Ela é tão fácil de fazer, tenta fazer ai para comprovar!

Até mais!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Estante: O último reino, Bernard Cornwell

Oiê!
Sinto muito, vou voltar a falar do Uhtred aqui no blog, mas esse é o “original”, com a grafia que o autor escolheu colocar em seu livro, O último Reino. Esse é o primeiro livro da série Crônicas Saxônicas, de Bernand Cornwell, que já conta com nove volumes. Vou te contar um pouquinho sobre o livro, mas não se preocupe, não vou dar nenhum spoiler!
O livro começa com um breve relato sobre o tempo e os locais em que a história se passa, quais mudanças ele fez para tornar a narrativa melhor e vem com um mapinha da Grã-Bretanha, antes de existir a Inglaterra. É muito interessante e ajuda a te situar na história que será contada. Também há uma explicação das grafias adotadas pelo autor (já que não se falava a mesma língua em todos os cantos da ilha).

O personagem Uhtred não existiu de verdade, mas a história fictícia se encontra com a história que realmente aconteceu – Alfredo existiu e foi o responsável pelo início da unificação da Inglaterra. Assim como ele, o dinamarquês Ubba também é um personagem real, um grande guerreiro que comandou muitas tropas para a expansão dos dinamarqueses para outros países da Europa. Você vai reparar que nos livros eles raramente são chamados de Vikings, essa denominação serve apenas para dinamarqueses que vão apenas saquear. Uma boa parte dos dinamarqueses foram até a Inglaterra para tomar terras, criar gados, plantar...eles queriam conquista-la.

O prólogo conta o período de 866-867d.C. e se passa na Nortúmbria, nesse momento conhecemos o Uhtred, ainda criança, ele é filho de um ealdorman, tem uma vida boa para os padrões da época e é o filho mais novo, mas tudo muda durante uma invasão dos dinamarqueses que queriam conquistar a região. Então, por uma série de duelos, mortes e traições, Uhtred é sequestrado pelos dinamarqueses e é assim que começa a primeira parte do livro: Uma infância pagã.

Era para o Uhtred ser um escravo, porém seu senhor, o grande guerreiro Ragnar se apega ao garoto, que acaba sendo adotado por Ragnar. É claro que uma grande reviravolta acontece e dá início a segunda parte do livro: O último Reino.

Uhtred se vê obrigado a fugir, ele tinha poucas opções – tentar reconquistar seu condado, afinal ele havia se tornado herdeiro legítimo do lugar, enfrentar os dinamarqueses ou ir em busca de ajuda em Wessex, o último reino Saxão que não havia sido tomado. Ele escolhe a última opção e consegue se encontrar com o Rei Alfredo, daí começa uma relação de gratidão e ódio entre os dois. Mesmo assim, Uhtred se alia a Alfredo pensando que depois ele poderia receber ajuda para conquistar Bebbanburg, sua fortaleza na Nortumbria. Enquanto Alfredo tem planos de torna-lo um senhor cristão, que sabe ler e escrever, entre outras coisas. Ele passa anos servindo a Alfredo, ajudando a conter invasões dinamarquesas e então começa a última parte do livro: A parede de escudos.

O livro tem uma narrativa bem linear, que te prende na leitura. Os duelos e confrontos são bem descritos, assim como as lutas marítimas. O livro é bem legal, mas termina no “meio do caminho” o que te faz querer ler o próximo livro da série. Eu, particularmente, gosto bastante quando o autor mistura ficção com realidade. Recomendo que você tenha bastante tempo livre, pois vai ser difícil parar de ler! Agora posso dizer que entre a série e o livro, o segundo é muito melhor!

Ah, os dois primeiros livros ainda estão disponíveis no Kindle Unlimited, em junho eram os oito primeiros – que bom que eu já tinha baixado todos os volumes disponíveis!

Assim que eu terminar o segundo livro, venho aqui te contar mais um pouco!

Você já leu O último reino?

Até mais!

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Resenha: Endless Eyes 100 Colors Palette Day to Night (e.l.f.)

Oiê!
Tenho uma certa tentencia em amar palettes gigantes, daquelas que vem todas as cores do mundo. Sempre quis uma palette made in China com 120 cores beeeem coloridas e vibrantes, mas no final sempre desistia de comprar. No final, acabei comprando uma palette de 100 cores da e.l.f., uma marca que conheço e tem um bom custo-benefício. Não tem a melhor das pigmentações, mas tem cores e na era dos primers praticamente toda sombra pode ficar mais pigmentada! Continue lendo a resenha!
Segundo a e.l.f.: "Palette colorida completa que te dá a gama necessária para olhos escuros e esfumados à olhos leves e brilhantes, do escuro ao colorido. Formulado e testado por nossos maquiadores profissionais."

Acredito que haviam outras palettes de 100 cores, a minha é a #75232 Day to Night. No site só encontrei essa versão limitada, com cores mais escuras e neutras. Comprei a minha na Marshalls e estava na promoção, de $10.00 por $6.99.
A embalagem é bem simples, toda de plástico. A base é preta e a tampa transparente com o nome da marca em prata bem clarinho. O nome da variante (por exemplo, #75232 Day to Night) da palette vem em um adesivo minúsculo em baixo, mas o nome da palette em si, vem só na caixa. É uma embalagem bem fraquinha e, obviamente, isso ajuda a cortar gastos e torna a palette mais barata.
A palette com com 100 cores de bom tamanho, possui sombras opacas e cintilantes e as tonalidades estão organizadas pelas colunas (na maioria da vezes). Tem cores lindas, dos neutros aos verdes e azuis vibrantes, tem vários rosas, roxos e laranjas – é uma gama muito interessante de cores, que possibilitam uma infinidade de combinações.  Pensando bem, eu só tiraria um pouco dos verdes e acrescentaria umas cores neon, é o que eu acho que ficou faltando.
Cores de um pôr-do-sol | Cut Crease Laranja Esfumado | Delicadeza pink | Olho Jeans | Delineado Basiquinho | Toque Turquesa
O maior problema dessa palette, na verdade das sombras da e.l.f., é a falta de pigmentação.  É só esfumar um pouco para a sombra perder toda intensidade. Isso me incomodava bastante na minha primeira palette da marca, mas hoje superei isso. Claro que sombras super pigmentadas são ótimas, porém com a variedade de primers e intensificadores de cores que encontramos hoje, essas sombras mais fraquinhas podem ficar um pouco melhores. Basicamente optei pelo preço baixo e não me importo de ter que usar primers quando quero cores mais intensas.

Então esta é a palette de 100 cores da e.l.f. que tem mais cores do que pigmentos e que eu tenho usado bastante desde que comprei – os tutoriais comprovam!

Você conhece as outras versões dessa palette?

Até mais!

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Tutorial: Olhos de Uthred

Oiê!
Vou te contar uma coisa, esse não é o nome original desse tutorial, mas por motivos de força maior, achei melhor deixar esse nome (no final te explico o porquê). Não se preocupe, eu não maquiei o Uthred, foi o meu olho mesmo e a maquiagem ficou bem legal. Esfumadinho, brilho e batom vibrante – um clássico do blog. Continue acompanhando o passo-a-passo!
Usei os seguintes produtos para preparar a pele:
BaseSuperstay 24h, cor Classic Ivory Light (Maybelline)
Corretivo de Alta Cobertura, cor 03 (Quem disse, Berenice?)
Bronzer da palette Dramatic and Smoky eye+face trio (Victoria’s Secret)
- Dream Touch Blush, cor 05 (Maybelline)
- Sombra Marrone (Quem disse, Berenice?) nas sobrancelhas
Clique aqui para ampliar
Nos lábios escolhi o Orange Shot (Maybelline) para deixar o make um pouco mais vibrante.
Como você já sabe, as fotos do resultado estão aqui em baixo!


Produtos utizados:
- Endless Eyes Day to Night Palette (e.l.f.)
Primer de olhos (Quem disse, Berenice?)
- Sombra Coal (Mary Kay)
- Lápis Pretuco (Quem disse, Berenice?)
- Máscara Lash Sensational (Maybelline)

Essa maquiagem, na verdade, não tinha um nome muito bem definido, ia ser algo com “glitter”. Porém quando postei a última foto no instagram, minha co-cunhada falou que parecia que eu e o Uthred estávamos com a mesma sombra. Dessa brincadeira, o nome ficou! E realmente, de olho aberto, ficou bem parecido com os olhinhos do cachorro mais fofo desse mundo!

Brincadeiras à parte, essa é daquelas maquiagens para se guardar na manga – combina com qualquer ocasião e não é tão demorada de fazer. E você está enganada se pensa que o toque especial é o glitter, o detalhe que faz a diferença é o côncavo laranja, ele deixa o make com outro resultado.

Você vai testar o côncavo laranja ou prefere ficar na mesmice?

Até mais!

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

It Looks Like: Batons Líquidos da Dailus

Oiê!
A Dailus foi uma das primeiras (ou a primeira) a lançar os famosos batons líquidos aqui no Brasil. Lá em 2014, eles começaram a virar febre e hoje toda maca tem o seu. Por ser a pioneira, a Dailus já alterou a fórmula algumas vezes para entregar um produto melhor (será?). Por isso, reuni três batons da Dailus para comparar as fórmulas: Basque, Mascavo e Marrom Brilhantina – primeira, segunda e terceira fórmula, por assim dizer. Continue lendo para ver as diferenças entre elas!
O Basque é da primeira coleção, quando a marca colocava nomes inspirados em passos de ballet. Quase um ano depois, a marca lançou uma coleção de inverno e fez algumas alterações na fórmula, foi aí que o Mascavo apareceu. E esse ano a Dailus trouxe uma fórmula de maior duração, que promete 12h de cor nos lábios e nessa nova linha estão os batons metálicos, que incluí o Marrom Brilhantina.

A embalagem continua exatamente igual, o impresso só mudou um pouquinho na nova linha 12 horas, exatamente para ressaltar a diferença da fórmula normal. Até colocar os três aplicadores juntos eu não tinha noção de que havia uma diferença – a parte de pelinhos do Mascavo é mais comprido e mais ralo, com isso o aplicador fica muito liso e isso atrapalha um pouco a aplicação.
O que mudou nas fórmulas? Entre o Basque e o Mascavo, a textura do segundo ficou bem mais seca (no tubo) e na hora de aplicar ele não desliza tão bem quanto à fórmula antiga. Já a fórmula 12h volta a ser mais cremosa e desliza bem nos lábios. A cobertura dos três é bem similar, continuam entregando bastante cor e cobrem bem, apesar de umas cores mancham mais do que outras – o pigmento influência muito. Nos lábios, os dois primeiros secam rápido e ficam bem secos, já o Marrom Brilhantina seca de uma maneira diferente, ele fica um pouco grudento nos lábios e isso me incomoda muito. Mesmo assim, os três não transferem.
Quanto à duração, acho que todos duram bastante nos lábios. Se não comer comida muito gordurosas, eles aguentam uma refeição praticamente intactos. Fiz um teste de remoção com água micelar (esfreguei um pouco) e o que saiu mais fácil foi o Mascavo, já o Marrom Brilhantina mostrou que a mudança da fórmula ajudou a fixar melhor o produto nos lábios.
Infelizmente não tenho a fórmula antiga do Basque (agora ele é comercializado com a fórmula igual à do mascavo), mas comparando a fórmula do Mascavo e do Marrom Brilhantina dá para ver que são produtos diferentes.

Mascavo: C10-13 Isoparaffin, Synthetic Beeswax, Sílica, Cyclopentasiloxane, Quaternium-18 Hectorite, Zinc Stearate, Propylene Carbonate, Polyisobutene, Butyrospermum Parkii (Shea) Butter, Propylparaben, Sodium Saccharin, Ethylhexyl Methoxycinnamate, Pode Conter: CI 15850:2, Barium Sulfate, Rosin, CI 15850:1, C1 77491, CI 15880:1, CI 77891, CI 45430, CI 151850, CI 77492, CI 77499

Marrom Brilhantina: Isododecane, Disteardimonium Hectorite, Cyclopentasiloxane, Microcrystalline Wax, BHT, Phenoxyethanol, VP/Eicosene Copolymer, Silica, Talc, Hydrogenated Polycyclopentadiene, Beeswax, Polybutene, Ethylhexyl Methoxycinnamate, Sodium Saccharin, Parfum, Benzyl Benzoate, Anise Alcohol. Pode Conter: CI 15850, CI 77891, CI 45430, Barium Sulfate, Rosin, CI 77491, CI 77492, CI 77499, CI 15880, CI 77742, CI 45410, CI 77002, CI 60725, CI 19140, CI 77510, CI 77007.
Os batons líquidos da Dailus são muito bons, porém eu não curti essa nova fórmula de 12 horas, me irrita muito o grudento nos lábios. Não posso afirmar se os batons não metálicos também deixam essa sensação nos lábios pois não tenho nenhum da linha 12 horas para testar. Já os regulares me agradam muito, não sei se o Basque mudou muito após as pequenas mudanças, espero que não e que o “problema” do Mascavo seja algo isolado da cor/pigmento. Uso muito os batons da linha e gosto bastante, o custo benefício vale a pena!

E aí, você já tinha reparado nessas pequenas mudanças de fórmula?

Até mais!

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Ma Cuisine d'Orange: Biscoitos de Linhaça

Oiê!
Desde que o Uthred chegou aqui em casa, tenho buscado receitas de biscoitos para dar de petisco e recompensa para ele. Achei essa receita no site CachorroVerde e foi um sucesso (inclusive comigo e com o André)! É rápido de fazer, mas tem que esperar a massa crescer um pouco, então separa um tempinho e corre para a cozinha!
Ingredientes:
- 300g de farinha de trigo (pode ser 50% de farinha branca e 50% integral ou 50% farinha de quinoa e 50% de farinha de aveia)
- 50g de aveia em flocos
- 1 colher (chá) de fermento biológico seco
- 200mL de água morna
- 4 colheres (sopa) de azeite (pode ser óleo de coco)
- 1 colher (chá) de sal
- ¼ de xícara de farinha de linhaça
Modo de preparo:
Misture a farinha, a aveia e o sal em um bowl (1) e reserve. Dissolva o fermento em ¼ de xícara de água morna dos 200mL iniciais (2). Faça um buraco no meio dos secos e acrescente o óleo e o azeite aos poucos e vá incorpore aos secos.   Em seguida adicione a linhaça (3) e quando estiver tudo junto, acrescente o fermento (4) e sove até a massa ficar macia (5). Cubra com um pano e reserve até a massa dobrar de tamanho. Abra a massa e corte com os cortadores de sua preferência (6). Coloque em uma forma com papel manteiga e faça furos nos biscoitos para não inchar (7). Leve ao forno, pré-aquecido à 180°C, até os biscoitos ficarem dourados. Retire do forno e deixe esfriar – armazene em um pote fechado (8)

O Uthred gosta tanto que é difícil tirar fotos - ele devora!
A parte mais chatinha da receita é o tempo de espera para a massa crescer (e não achei que ele cresceu tanto assim, mas a receita funcionou todas as vezes). Então escolhe aquele dia que você vai ter mais coisa pra fazer na cozinha e já faz tudo de uma vez! Ah, se você quiser, pode tirar o sal, assim fica melhor para o seu cãozinho!

Faz e depois me conta o que achou desses biscoitinhos!

Até mais!

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Resenha: Vivid Matte Liquid - Orange Shot (Maybelline)

Oiê!
Se tem uma coisa que deixou de ser novidade é o batom líquido, praticamente todas as marcas já investiram nesse tipo de batom que se tornou o favorito de muita gente (inclusive meu). Claro que eu não pude deixar de testar o da Maybelline, uma das melhores marcas em custo-benefício. Infelzimente, me decepcionei um pouco com esse batom, ele até cumpre o que a descrição promete, mas é bem diferente do que estamos acostumados por aqui. Vem que eu te conto tudo sobre o Color Sensational Vivid Matte Liquid!
Sobre o COLOR SENSATIONAL® VIVIDMATTE LIQUID™: “Enche seus lábios com uma cor vívida e com acabamento mate. 2 vezes mais pigmentos para cor intensa.
O que é? Batom de cor intensa e rica que desliza suavemente nos lábios para um acabamento mate.
Benefícios: Pigmentos puros colidem com uma base cremosa deixando uma sensação macia e suave. O resutado? Lábios impactantes que se destacam! Disponível em vários tons intensos.

São 10 tons disponíveis e cada um custa em torno de $8.00. Comprei o Orange Shot durante minha viagem à Houston. Infelizmente (ou felizmente) não é vendido no Brasil.

Ingredientes: DIMETHICONE BIS-DIGLYCERYL POLYACYLADIPATE-2 DIISOSTEARYL MALATE DIMETHICONE CROSSPOLYMER HYDROGENATED POLYISOBUTENE PHENYL TRIMETHICONE KAOLIN HDI/TRIMETHYLOL HEXYLLACTONE CROSSPOLYMER ISOSTEARYL ISOSTEARATE POLYETHYLENE VINYL DIMETHICONE/METHICONE SILSESQUIOXANE CROSSPOLYMER NYLON-12 PENTYLENE GLYCOL CAPRYLYL GLYCOL ETHYLHEXYLGLYCERIN ALUMINA SILICA PENTAERYTHRITYL TETRA-DI-T-BUTYL HYDROXYHYDROCINNAMATE LINALOOL ALUMINUM HYDROXIDE SYNTHETIC FLUORPHLOGOPITE CALCIUM SODIUM BOROSILICATE CALCIUM ALUMINUM BOROSILICATE LIMONENE TOCOPHEROL TIN OXIDE BHT PARFUM / FRAGRANCE   [+/- MAY CONTAIN / PEUT CONTENIR MICA CI 45410 / RED 28 LAKE CI 77891 / TITANIUM DIOXIDE CI 77491, CI 77492, CI 77499 / IRON OXIDES CI 45380 / RED 22 LAKE CI 15850 / RED 7 CI 15985 / YELLOW 6 LAKE CI 42090 / BLUE 1 LAKE CI 19140 / YELLOW 5 LAKE CI 75470 / CARMINE ] F.I.L. D177827/2
A embalagem é bonita, toda quadradinha. O tubo é de plástico resistente e com o nome da linha impresso em preto e letras grandes. A tampa acompanha o tamanho do tubo, é de plástico preto fosco e vem com um adesivo com o código de barras. O nome da cor vem em um adesivo pequeno na base do tubo.  O Vivid Matte Liquid vem com 7,7mL. O aplicador é bem ruim, ele é tipo gloss, mas ele é muito comprido e fino, não encaixa bem nos lábios.
A textura do batom é um pouco pegajosa, ao mesmo tempo é fino e um pouco translúcido. A cor não é super pigmentada como a marca promete. Nos lábios, o batom não seca e fica um pouco úmido, como um gloss mais sequinho. O batom transfere, mas até que dura bastante nos lábios. Fiquei surpresa quando fui limpar a amostrinha do braço com lenço demaquilante e foi difícil remover. Não é um batom de alta duração, mas ele tem um fundinho bem pigmentado que deixa uma corzinha nos lábios mesmo depois de ter saído.
Quanto à cor, o Orange Shot é um vermelho alaranjado bem vivo e o tom me lembra o Quite the Standout (M.A.C.). Ele é um pouco translúcido e nos lábios ele perde um pouco desse tom vivo e fica um pouco mais rosado. É um tom bem bonito e que me agrada muito. Não sei se os outros tons também são translúcidos como este, acredito que sim.
Brownish
Em resumo, é um batom interessante, mas a textura não me agrada. Prefiro os batons mais consistentes e que entregam mais cor. O custo-benefício desse batom não foi bom, mesmo assim não deixei ele de canto, às vezes uso ele ao invés do da M.A.C. para economizar o segundo! Haha! Se você gosta de batons mais úmido e não faz questão de muita pigmentação, esse batom pode funcionar para você – entre ele e um batom bala, Vivid Matte Liquid é melhor.

Você já experimentou algum Vivid Matte Liquid?

Até mais!

Marque suas fotos com #PerspectivaLaranja e apareça por aqui!