quarta-feira, 20 de julho de 2016

Televisando: The Last Kingdom (O último reino)

Oiê!
Finalmente terminei de assistir a primeira temporada de “The Last Kingdom” que adapta os dois primeiros livros da série Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell. Acompanhei a série por dez semanas no History Channel e agora que acabou fiquei meio perdida, esse era nosso programa de sábado à noite! Pelo menos essa série “rendeu” bons frutos, como a assinatura do Kindle Unlimited, mais livrinhos para a lista e o Uthred!
Sinopse: “Adaptada da série de livros de Bernard Cornwell, “Crônicas Saxônicas”, The Last Kingdom é um drama histórico que se passa no século IX e acompanha uma Inglaterra que caiu perante as invasões Vikings. Apenas o grande reino de Wessex continua a desafiar as probabilidades e se mantém em pé, graças ao rei Alfred.
No meio deste tempo turbulento vive Uhtred, filho de um nobre saxão que ficou órfão e foi criado pelos Vikings como um dos seus. Forçado a escolher entre seu país de nascimento e as pessoas que o acolheram, sua lealdade é testada constantemente. Na jornada para recuperar o seu direito de nascimento, Uhtred deve lidar com os dos dois lados da moeda para cumprir seu papel no nascimento de uma nova nação.

A série da BBC americana na verdade tem oito episódios, só que o History Channel fez um bem bolado e transformou esses oito episódios em dez. A série de 2015 foi renovada e a segunda temporada está prevista para estrear em 2017. Ah, agora a Netflix é co-produtora da série, o que aumenta bastante minha expectativa para o próximo ano.
A série utiliza como pano de fundo a unificação da Inglaterra que teve seu início durante o reinado de Alfredo. A trama mistura fatos com ficção, trazendo uma história muito interessante. Ela começa com Uhtred (sim, a grafia dele é diferente do meu puppy) ainda criança e antes de se chamar Uhtred. Seu pai era Ealdorman (tipo um conde) de Bebbanburg, na Nortumbria, e junto com outros reis e Ealdormen da região, vão à luta contra os daneses. O Uhtred resolve ir lutar contra a vontade de seu pai e é capturado pelos invasores, mas ao invés de ser morto, ele acabou sendo adotado pelo Earl Ragnar. Ele cresce e, depois de muitas reviravoltas, resolve tomar Bebbanburg de volta, que naquela época estava nas mãos de seu tio. No meio de sua jornada, seu caminho e o de Alfredo se cruzam e eles desenvolvem uma relação de lealdade, respeito e ódio. Isso fica bem claro por toda série.
Uhtred nunca está sozinho, sempre tem alguém que o acompanha. Tem até um bromance, daqueles que dá para se apegar. Existe a figura do passado, o padre Beoca, que ainda acredita que o Uhtred é um cristão de bom coração apesar dele se posicionar como um pagão. Brida também foi sequestrada com ele durante a infância e o acompanhou até a chegarem a Wessex. Eles vão para Wessex fugidos, tanto os daneses quanto os saxões estão atrás de Uhtred e ele recorre ao último reino da Inglaterra para se fortalecer e traçar seu plano para recuperar Bebbanburg.
Brooomaaaance!
É uma série bastante rica em personagens, porém quando comparado com os livros eles deixam a desejar. Muitos personagens foram fusionados, o que traz uma certa estranheza para quem leu os livros. Ainda estou no primeiro, mas o André já terminou sétimo e vai me contando as principais diferenças. Outra coisa ruim é que eles condensaram dois livros em uma temporada e praticamente todos os duelos foram “descartados”. A sensação que eu tive é que 70% da série correspondia ao primeiro livro e o restante era do segundo. Nos últimos episódios a história ficou muito corrida e vários personagens perderam importância. Com um orçamento baixo, a série sacrificou todas as batalhas marítimas e nesses momentos a história me deixou com sensação de buracos.
Claro que depois dos primeiros episódios deu vontade de conhecer mais sobre a saga do Uhtred e ficamos satisfeito com a leitura dos livros. Bom, se você é uma pessoa que normalmente não gosta de adaptações, recomendo assistir a série antes de ler os livros, ou só ler os livros. A série é bem feitinha, mas a adaptação não é das melhores, fica bem claro que eles não tinham muito orçamento. Espero que a próxima temporada se redima, afinal a Netflix está no meio e esse universo Viking está virando moda. Eu, pelo menos, estou curtindo bastante saber mais sobre essa cultura!

Você já assistiu algum episódio de “The last kingdom”?
Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque suas fotos com #PerspectivaLaranja e apareça por aqui!