terça-feira, 29 de março de 2016

Televisando: Fuller House

Oiê!

Virou moda fazer novas temporadas de séries antigas e uma das mais recentes foi a Full House. O Netflix fez uma nova temporada (agora com o nome de Fuller House) que está disponível desde fevereiro. Não é uma série que acompanhei (nem tinha idade para entender o que era série), mas lembro de algumas coisas da série original, por isso me empolguei para assistir à nova temporada.
 Sinopse: “Em uma continuação de Full House, D.J. Fuller é uma mãe de três meninos e ficou viúva recente. A irmã de D. J., Stephanie, sua melhor amiga Kimmy e filha adolescente de Kimmy se mudam para ajudá-la a criar seus filhos. A casa agora está muito mais cheia!”

A temporada tem 13 episódios de meia hora e todos estão disponíveis no Netflix. Aparentemente, a série foi renovada para uma segunda temporada.
 Full House é uma série do final dos anos 80, começou em 1987 e teve 8 temporadas (até 1995). Conheci depois de bastante tempo e quando comecei a ver alguns episódios foi quando comecei a ouvir falar sobre as gêmeas Olsen. Fuller House repete a fórmula conhecida, três adultos cuidando de suas vidas e várias crianças. Quase todo o elenco voltou para gravar, adivinha quem não quis participar? Sim, as gêmeas e isso foi a deixa para algumas piadas.

O primeiro episódio foi o meu favorito, porque reúne todo o elenco de Full House e (meio que) compara as duas gerações. O final desse episódio me emocionou um pouco, achei muito delicada a maneira que eles uniram as histórias. DJ assume o papel do pai, fica viúva nova e tem três filhos para criar. Sua irmã Stephanie, que virou DJ e usa como nome artístico o nome da irmã mais velha, viaja muito e é totalmente descompromissada. Para fechar o trio principal, colocaram a melhor amiga doida da DJ, a Kimmy, que é elo mais cômico das três protagonistas. Acho que se as gêmeas tivessem voltado, a Kimmy não teria o destaque que ela teve.
A série é bem leve e divertida, porém segue o esquema de fan service total! Até eu que não acompanhei a série original consegui pegar várias deixas e piadinhas. As três protagonistas funcionam em conjunto sem perder a individualidade. Nem todos os episódios são legais, alguns têm bastante enrolação. Como é uma temporada curtinha, dá para fazer uma maratona de um ou dois dias tranquilamente. Não é uma série muito original, mas vale para passar o tempo e dar boas risadas. Aproveito para deixa registrado que eu amei as cenas do Max, filho do meio da DJ! Ele é muito muito fofo!!!

Você gostou da volta de Full House? Que outra série você gostaria que voltasse?

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque suas fotos com #PerspectivaLaranja e apareça por aqui!