quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Cidadeando: Nosso deslocamento

Olá, hoje vou começar a relatar o processo de trocar o carro pela bicicleta. Eu simplesmente  não decidi sair pedalando pela cidade, fiz um planejamento prévio para tentar fazer da maneira mais correta possível.

Antes de sair pedalando elaborei algumas perguntas:
- Como é o transporte na minha região?
- Como está meu preparo físico?
- Qual meu trajeto cotidiano?
- Como vou preparar um trajeto para chegar ao trabalho com segurança?
- Quais equipamentos vou precisar?

A primeira questão é o tema do post de hoje!!!!
São Paulo é uma cidade muito grande, com muitas possibilidades de descolamento e muitos caminhos diferentes. São milhões de pessoas se locomovendo todos os dias! Mas existe uma dinâmica de fluxo predominante? Para ilustrar isso, fiz uma pequena comparação entre a densidade populacional e a densidade de empresas (que gera a maioria dos empregos).
Para ampliar, clique aqui.

Como podemos ver no mapa, existe uma forte concentração de empregos em um determinado eixo da cidade em contraponto com uma densidade populacional mais distante desse eixo.
Sabemos também, que morar perto dessas regiões é mais caro e poucos paulistanos tem esse privilégio portanto, temos uma grande quantidade de pessoas se deslocando todos os dias para as regiões onde estão concentrados os empregos. É o meu caso!
Sabendo das dificuldades, fiz um levantamento dos modais de transporte que posso utilizar e seus benefícios e malefícios:

CARRO

Benefícios:
- É mais confortável.
Malefícios:
- Custos: um estacionamento na região onde trabalho custa por volta de 300 reais por mês, os gastos com combustível só para ir e voltar do trabalho são de aproximadamente 150 reais por mês. Além do mais existem outros gastos com a manutenção do veículo que devem ser levados em consideração.
-Transito: Lentidão causada pelo excesso de veículos. Como vimos no mapa anterior, a quantidade de fluxo para uma determinada região é muito grande, muitos carros (normalmente com apenas 1 passageiro dentro) ocupando a via no mesmo espaço de tempo. Coloquei a figura abaixo para ilustrar um pouco dessa questão do espaço.
- Saúde: Enquanto estamos dentro do carro não fazemos exercícios, ficamos em um ambiente estressante e ainda poluímos o ar.
Pesando os prós e contras constatei que estava usando o carro apenas por comodismo. Estava gastando mais, prejudicando o meio ambiente e o fluxo da cidade. Achei que estava economizando tempo indo de carro, o que constatei não ser verdade (levava 50 minutos de carro e com a bicicleta 55 minutos). Dentro do carro não posso praticar atividades físicas e nem ler, o tempo que eu acreditava estar economizando, apenas estava jogando fora preso dentro de um pedaço de metal.

Foto do site We Are Traffic


METRÔ

Benefícios:
- Consegue levar mais pessoas e de maneira rápida.
- É um transporte que não polui o ar.
- Os custo das passagens são relativamente baixos (R$3,50).
- Posso ler um livro e ouvir música durante o trajeto, sem me preocupar em causar acidentes.
Malefícios:
- Tempo de trajeto: no meu caso, moro a cerca de 3 km da estação de metrô mais próxima. Com isso levo mais 40 minutos à pé ou 20 de ônibus (gastando mais R$1,95) para chegar ao metrô. Outro problema é a deficiência de cobertura da rede sobre trilhos de São Paulo o que me leva a ter que fazer 2 baldeações dando uma volta maior para chegar ao trabalho. Meu tempo de trajeto fica entre 1h20 e 1h40, se somar ida e volta é um tempo considerável.
Comparando os benefícios e malefícios, considero a rede sobre trilhos ainda uma boa opção. A única coisa que ainda pesa é o tempo de deslocamento.

ÔNIBUS

Benefício:
- Conforto: No meu caso consigo ir sentado a maior parte do trajeto.
- Poder ler.
- É barato (R$ 3,50)
Malefícios:
- Transito: como falamos na desvantagem do carro, o excesso de veículos também afeta o ônibus, mesmo com faixas exclusivas.
- Tempo de trajeto: O transito, as paradas e as baldeações fazem o tempo da viagem de ônibus ser entre 1h30 e 1h50.
Por enquanto ônibus onde moro é uma opção muito lenta. Existe um projeto do BRT que vai passar próximo a minha casa, mas por enquanto está apenas no papel (Perimetral Bandeirantes).

MOTOCICLETA

Vou ser sincero, consigo avaliar os outros meios de transporte porque fiz o teste, o que não é caso da motocicleta. Não tenho habilitação e nem moto então não posso avaliar as vantagens e desvantagens, se você for um usuário desse modal, pode me ajudar nos comentários?

BICICLETA

Benefícios:
- Muito barato: nem se compara o preço de uma bicicleta com um carro, não vai combustível nenhum e a manutenção tem um custo muito mais baixo que o do carro.
- Saúde: Juntei duas coisas que antes eu levava mais ou menos 1 h para cada: Fazer exercício e me deslocar.
- Tempo de trajeto: Eu imaginei que iria levar muito mais tempo que o carro, mas não, são apenas 5 minutos à mais. Faça um teste e jogue no google maps e descubra o tempo de trajeto de bicicleta.
Malefícios:
- Segurança no transito: Infelizmente nem sempre o menor trajeto pode ser feito de bike, pois nem todas as pessoas respeitam os ciclistas no transito. Ainda existem poucas ciclofaixas e o nível de educação de alguns motoristas de SP ainda é muito baixo. Por ser mais lenta e mais frágil, é melhor não “brigar” com os carros, sua segurança sempre em primeiro lugar.
Com essas ponderações, respondi a primeira pergunta e entendi como é o transporte entre minha casa e meu trabalho. Tem alguma coisa que vocês acham que eu deveria colocar na minha análise?
Cada um possui uma realidade e deve avaliar com cuidado como suas ações se encaixam no coletivo!

Um abraço.

2 comentários:

  1. Bem legal, tenho pensado em trabalhar de bike, mas existem alguns pontos como aonde guardar a magrela durante o trabalho? Qual tipo de bike comprar pra fazer um trajeto longo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir

Marque suas fotos com #PerspectivaLaranja e apareça por aqui!